segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Pontes para jardim

Como o próprio nome já diz, uma ponte tem a função de unir dois pontos passando por sobre um curso d´água, permitindo a circulação de pedestres ou até mesmo viaturas. As pontes utilizadas em jardins, além de um belo efeito plástico, também deverão exercer tal função, a fim de que se tenha utilidade num projeto paisagístico. Portanto, normalmente essas pontes deverão transpor espelhos d´água, córregos, riachinhos, piscinas, lagos, etc.

1) Tipos de pontes em jardins :

a) Japonesas : Normalmente a ponte com estilo japonês é arqueada pois forma uma estrutura mais harmônica, dando uma maior sensação de “leveza” à ponte. Em sua grande maioria são construídas em madeira, possuindo guarda-corpos trabalhados em motivos orientais.

b) Passarela : É uma ponte formada por linhas mais retas, às vezes necessitando de alguns degraus na entrada e/ou na saída para vencer obstáculos. Pode-se confeccionar esse tipo de ponte em madeira (com toras roliças ou aparelhadas), em concreto armado, em metal ou até mesmo com estruturas mistas como madeira+metal ou madeira+concreto;

2) Sistemas contrutivos das pontes :

a) Largura : Como largura, as pontes para jardim devem ter, no mínimo 60 centímetros para que uma pessoa possa trafegar sem maiores problemas.

b) Fixação no solo :

I) Na terra : Se o material utilizado na estrutura da ponte é a madeira, deve-se tomar algumas precauções. O ideal é que se utilize uma madeira dura para a estrutura, como o Angelim, Ipê, Peroba Rosa, Itaúba ou Garapeira. Se não for possível, pode-se optar por madeiras tratadas contra apodrecimento como o Eucalipto e o Pinus Autoclavado. Por ficarem em contato com o solo, essas madeiras podem sofrem com a ação de fungos e insetos xilófagos, portanto antes de fixá-las na terra deve-se protegê-las com uma camada de Neutrol (OttoBaumgart) ou o Stain Osmocolor (Montana Química), na parte em contato.Já se o material for o metal, deve-se aplicar uma camada de zarcão e uma tinta eletrostática sobre a estrutura.As pontes de concreto armado podem ser moldadas in loco (com cimbramentos), ou pré moldadas.

- Cava-se uma vala, tipo broca, com uma cavadeira nos pontos onde a ponte será apoiada;- Joga-se uma camada de brita no fundo e apoia-se as bases da ponte sobre a brita;- Após a nivelação da ponte, joga-se concreto nas valas cobrindo a base da ponte;

Uma outra solução mais prática para a fixação sobre a terra é concretar uma tora de madeira (devidamente protegida contra a ação de fungos) de secção retangular onde a ponte vai se apoiar e parafusar as bases da ponte sobre a tora.

II) Sobre contrapiso : Se a ponte for de madeira pode-se apenas parafusar as bases com parafuso e bucha sobre o contrapiso, lembrando sempre de aplicar uma demão de Stain antes na madeira.Se for de metal, fixa-se com parafuso e bucha. As de concreto são moldadas in loco.Nada impede que estas pontes sejam concretadas diretamente no contrapiso de concreto;

c) Pontes arqueadas :

O arco de uma ponte deve ser tal que vença o vão proposto e propicie comodidade para o pedestre ao atravessá-la, sem derrapar ou deslizar.

Como se calcula o ângulo de inclinação de uma ponte em arco ?
O ângulo de inclinação de uma ponte em arco deve variar de 10% a 30%. Um grau de 20%, por exemplo, significa que a cada 1.00m de comprimento a ponte subiu 20cm :

Ex :

Para vencer vãos com alturas maiores, deve-se adotar degraus na entrada e na saída da ponte :

d) Pontes retas :

As pontes retas devem proporcionar ao pedestre uma sensação de segurança ao atravessá-la, sem que haja o efeito da “flambagem” ou seja, sem que a ponte “arqueie” quando a pessoa a atravessa.

Comparação entre uma ponte em arco e uma reta se confeccionadas com a mesma espessura de estrutura, no seu estado limite de utilização :

3) Revestimentos do piso :

Normalmente utiliza-se ripas de madeira para o revestimento das pontes para jardim, como réguas de deck ou pranchas, pregadas ou parafusadas sobre as estruturas.
Há alguns revestimentos alternativos como o aço inoxidável e o alumínio para as pontes de metal, ou até mesmo o cimento queimado e a cerâmica para as de concreto.

4) Guarda-corpos :

Os guarda-corpos devem ser utilizados quando se quer proporcionar maior segurança na travessia da ponte ou mesmo pelo seu belo efeito estético. A utilização desse elemento não é obrigatório, sendo de uso ocasional, podendo ser confeccionado em madeira ou metal.
Há ainda guarda-corpos mistos com madeiras trabalhadas, cordas de navio, cordas de sisal, tirantes de aço, etc.
A altura média de um guarda-corpo pode variar entre 60cm e 1.10m.

Autor : Eng. Alan Dias
Publicado na revista : Casa e Jardim - 24/04/2003

Nenhum comentário: