segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Entrevista com Eng. Alan Dias para a revista Referência–Produtos de Madeira

Segue abaixo entrevista concedida à revista Referência Produtos de Madeira em Jun/2011!

      


- Há quanto tempo é engenheiro civil?
Me formei em 1998, já sou engenheiro civil há 13 anos.

- Quando surgiu o interesse pelo design? Ele veio para complementar à primeira profissão?
Meu interesse por design surgiu logo após finalizar a faculdade de engenharia, quando comecei a trabalhar com execução de estruturas de madeiras pra áreas externas. Nessa época tive contato com arquitetos, paisagistas e decoradores de todo o Brasil, que me contratavam pra executar decks e pergolados de madeira. Por conta disso acabei participando, em parceria desses profissionais, das mais diversas mostras de decoração e paisagismo do Brasil. Por estar diretamente em contato com esse mundo, onde a criatividade é o diferencial, acabei tomando gosto pela madeira e pelo design.

- Quais cursos fez para se tornar um especialista em cálculos estruturais de madeira?
Primeiramente fiz faculdade de engenharia civil, me formando em 1998. Depois fiz um curso de três anos de design aqui mesmo em São Paulo. Após muitos estudos particulares, ingressei no curso de Pós-Graduação da USP no cálculo de estruturas. Hoje frequento o curso de Pós-Graduação na Unicamp em Estruturas de Madeira, onde além de cálculos estruturais também estudamos toda anatomia física e mecânica da madeira.

- Quando surgiu seu interesse por utilizar a madeira na construção civil?
Esse interesse foi surgindo à medida que eu ia construindo estruturas cada vez maiores e mais arrojadas. Chegou um momento que eu resolvi tentar entrar em contato com alguns engenheiros que já construíam em madeira há algum tempo como por exemplo o Eng. Hélio Olga, da Ita Construtora, o Eng. Maurício de Almeida da Orbital e o Eng. Edmundo Callia da Callia. Todos eles me deram base pra começar a entender como trabalhar com grandes estruturas em madeira. Consequentemente meu interesse pelo estudo aprofundado nos cálculos estruturais também aumentou. É um mundo fascinante!

- Qual foi o primeiro contato com a madeira? Lembra do primeiro projeto em que utilizou o material com um destaque maior?
Meu primeiro contato com a madeira foi no meu primeiro emprego! Fui contratado por uma empresa de São Paulo pra desenvolver projetos de decks de madeira de reflorestamento. Até então eu achava que ia ser engenheiro civil de obras de concreto ou trabalhar na área financeira, como muitos engenheiros fazem. Mas, quem uma vez trabalha com madeira se apaixona de uma forma que nunca mais consegue largar! O primeiro projeto que utilizei madeira e que deu grande repercussão foi ter feito o deck do restaurante Skyie no Hotel Unique de São Paulo. Já como estrutura de grande porte, o projeto que teve grande destaque na mídia foi o Restaurante Japonês Jam Warehouse na Rua Bela Cintra, em São Paulo.

- Por que este material e não outro?
Eu optei por trabalhar com madeira por diversos motivos, mas vou citar apenas 3. O primeiro por ser o material mais estudado do mundo em relação às propriedades físicas e mecânicas. Isso te dá uma grande segurança em trabalhar com este material, pois sabendo como calcular e utilizando-o no lugar certo da maneira correta, pode-se fazer qualquer tipo de estrutura. E pra isso tem-se como respaldo toda a base científica. O segundo motivo é por ser um material que requer muita criatividade, pois uma solução estrutural nunca é igual à outra, ou seja, eu posso fazer uma ligação entre duas peças de madeira de milhares de formas possíveis e que funcionam. Aí é que entra a criatividade do calculista. A gente tem mesmo que ser meio designer pra trabalhar com madeira, tem que ter sentimento. Sentir até onde pode chegar a madeira. É um material com vida, produzido pela natureza, e por isso cheio de imperfeições que a gente tem que saber como lidar de forma criativa! Já o terceiro motivo é pessoal. Não consigo mais trabalhar com outro tipo de estrutura, é apaixonante. Sou meio corajoso nessa área, mas é que acredito que teremos muito trabalho num futuro bem próximo. Cada vez mais o mundo só constrói em madeira. É uma questão de tempo e mudança cultural brasileira. Mas felizmente vejo que a nova safra de arquitetos e engenheiros já possuem grande intimidade com este tipo de estrutura.

- Quais são as vantagens da utilização deste material?
Vou falar de algumas vantagens práticas, como por exemplo : a madeira é de fácil transporte, chega em qualquer lugar, em qualquer situação, no tamanho certo, já cortada, às vezes até já furada. Prontinha pra montar a estrutura. Pode-se fazer diversas formas com a madeira. Reta, curva, vencer qualquer vão. Há soluções estruturais pra tudo. A madeira é leve e resistente. Só por isso já se economiza pelo menos 20% nas fundações da obra. Não se gasta água e nem formas na construção, é uma obra seca e limpa. Os pilares e vigas já vêm prontos pra uso. O que faz com que a construção em madeira seja extremamente rápida. Não há perda de material, nada se joga fora. Pode-se trabalhar com estruturas modulares e de fácil ampliação. Com ferragens de conexão ou através de encaixes, se amplia a estrutura com facilidade e sem quebrar nada. Trabalhar com madeira não necessita ferramentas complicadas. Serras circulares, furadeiras, parafusadeiras e ferramentas manuais são suficientes pra montar toda a estrutura. Como vantagens físicas temos : a madeira não conduz calor, funcionando como um ótimo isolante térmico. Quando a estrutura encontra-se em situações de incêndio a estrutura não perde sua capacidade portante, ou seja, não cai e melhor ainda, não deforma. Há espécies super resistentes à tração e à compressão, e por isso podemos ter estruturas esbeltas, limpas e bem resolvidas. E pra finalizar é claro que temos a questão ecológica. Construir com madeira é estocar carbono em casa. Além disso é o ÚNICO material de construção renovável no mundo. Imagine que, um ciclo de corte de uma árvo de reflorestamento como o Eucalipto pra construção é uma média de 8 a 14 anos pra termos peças estruturais. Já as árvores nativas levam de 50 a 100 anos pra estarem saturadas de carbono, invertendo sua cadeia de fotossíntese e assim estarem prontas para o corte de manejo. Parece muito tempo? É só lembrar que uma jazida de ferro, ou bauxita levou pelo menos 1 milhão de anos pra se formar... A madeira consome muito pouca energia pra ser produzida em peças estruturais. Por exemplo, precisa-se de 20 vezes menos energia pra se produzir 1 tonelada de madeira do que pra se produzir 1 tonelada de alumínio.

- Quais aspectos devem ser levados em consideração quando a madeira é utilizada de forma estrutural?
O maior aspecto é a troca de umidade da madeira. É só pensar da seguinte maneira: quanto mais água tem dentro da madeira, mais flexível ela se torna e consequentemente mais suscetível ao ataque de fungos apodrecedores e insetos xilófagos. Portanto, quanto mais seca a madeira está, mais “dura” ela fica, mais resistência ela adquire. É diretamente proporcional. Nos projetos, a gente procura evitar com que a água fique empoçada na madeira pra evitar apodrecimentos. Por exemplo, nunca embutimos os pilares na terra, nem em estruturas de concreto, que com certeza trocariam umidade com a madeira, e causariam pontos de apodrecimento. Criamos sempre bolsões de ar nos revestimentos externos e coberturas, pra que o vapor d’água possa se emancipar sem interferir na madeira. Outro aspecto básico é utilizar a madeira certa no lugar certo. Tem madeiras que não servem pra áreas externas e obviamente existem projetos que não servem pra serem construídos em madeira!

- Hoje já existe tecnologia suficiente para a correta utilização da madeira de forma estrutural?
Não é de hoje que existe tecnologia suficiente pra utilização correta da madeira de forma estrutural. Foi a madeira que iniciou tudo! Todos os sistemas estruturais que conhecemos e que hoje são utilizados em estruturas metálicas e de concreto se originaram nas estruturas de madeira. O homem quando saiu das cavernas construiu sua primeira habitação em madeira! Treliças, tesouras, sistema pilar-viga, arcos, pórticos, grelhas, membranas, etc. Todos começaram na madeira. Por ser tão estudada, há tantos anos, é o material mais moderno que existe pra construção civil mundial. Hoje em dia já foram criadas soluções pra toda e qualquer resolução estrutural em madeira. Não há limitações pra vãos livres e nem pra alturas, muito menos pra curvas. Em países como a Itália, França, Espanha e Alemanha já se produzem as peças de madeira perfeita, os LVLs. Constituem-se de lâminas finas de madeira, isentas de nós e defeitos, coladas lateralmente com colas especiais, produzindo vigas de madeira de altíssima resistência estrutural.

- Sobre a trabalhabilidade, no que a madeira é mais ou menos vantajosa comparada a outros materiais?
Como engenheiro, vejo que a desvantagem principal da madeira nos cálculos é a deformação lenta da madeira devido à fluência. Isso quer dizer que conforme o tempo vai passando a madeira vai se deformando e nunca mais volta à forma original pois as fibras internas “esticam”. Isso requer um pouco de técnica pra não carregar as peças além do que elas realmente suportam. Outra desvantagem é que amostras da mesma espécie podem ter características físicas e mecânicas completamente diferentes. Isso se dá pela madeira ser um material anisotrópico, ou seja, é um material heterogêneo com imperfeições internas. Já a questão da umidade também é um problema pois existem espécies que retraem e dilatam mais que outras, causando fissuras e rachaduras nas peças estruturais.

- Quais são os cuidados que o proprietário deve ter com a obra com o passar do tempo? Algum produto deve ser utilizado para que a madeira tenha maior durabilidade?
Como toda e qualquer estrutura, a madeira também requer manutenção ao longo dos anos. Isto é inegável. Dizemos que a madeira tende a trabalhar estruturalmente, devido às trocas de umidade com o meio ambiente durante uns 5 anos até se estabilizar, ou em termos técnicos até encontrar a sua umidade de equilíbrio com o ambiente onde está. Nesses 5 primeiros anos, deve-se fazer anualmente um reaperto dos parafusos pois eles podem se afrouxar com o encolhimento e retração da madeira, e reaplicar um produto hidrorrepelente superficial nas peças de madeira, para evitar a penetração de água. O produto mais indicado pra esta aplicação anual é o STAIN, produto especialmente desenvolvido pra madeiras. Possui filtros de raio ultravioleta pra evitar a oxidação da madeira pelo sol e é hidrorrepelente, evitando a penetração da água na madeira. Mas pessoalmente eu prefiro usar madeiras boas e não aplicar nenhum produto sobre elas.

- Quais são as espécies mais indicadas para o uso estrutural?
As espécies mais indicadas para uso estrutural, segundo a norma brasileira, são as espécies que se encaixam na classe de resistência de madeiras duras de C40 a C60. Dentre essas espécies estão incluídas : Cumarú, Itaúba, Ipê, Jatobá, Garapeira, Pequiá, Muiracatiara, Eucalipto Citriodora, Angelim, Acapu, Massaranduba, Sucupira e até mesmo a Teca Brasileira. Isso não quer dizer que não se constrói com madeira macia, como o Pinus, por exemplo. A grande maioria das vigas de Madeira Laminada Colada são feitas em Pinus. Isto porque por ser poroso, ele seca rápido em estufa, pode ser 100% tratado contra apodrecimento e adere muito bem às colas estruturais. Resumindo, pode-se construir “teoricamente” com qualquer espécie. Basta calcular de acordo com a madeira escolhida!

- Possui alguma espécie preferida?
Sim, eu adoro a Itaúba. É uma madeira sensacional pra trabalhar. Ela possui uma resina natural interna, um tipo de uma cera, que a protege contra apodrecimento e contra cupins naturalmente! Além disso ela não é tão dura que chega a rachar quando a gente bate um prego. E claro, é uma espécie proveniente de grandes manejos florestais possuindo toda a certificação legal para uso em estruturas.

- Percebe ainda algum preconceito em relação à utilização da madeira?
Sim, totalmente e em todo lugar. Costumo dizer que, quem não tem grande intimidade com madeira conhece as seguintes características do material : a madeira pega fogo, a madeira apodrece, a madeira é frágil, a madeira é cara, a madeira dá cupim e principalmente que construir com madeira está destruindo as nossas florestas. Isso está mudando gradativamente com o tempo, à medida que mundialmente temos grandes e importantes obras sendo construídas em madeira, como por exemplo o Shopping Metropol Parasols em Sevilha na Espanha. O grande preconceito mesmo é devido à falta de conhecimento do material, dos sistemas construtivos e dos processos pra construção. Uma vez quebrados esses estigmas, as pessoas ficam fascinadas. Muitas das indagações que ouço, por exemplo é que “eu não sabia que dava pra construir isto em madeira!”. Eu digo, “e por que não?”. Normalmente não sabem o porquê...!

- Sente a carência do mercado em relação à mão de obra especializada para a realização de projetos de construção civil com o uso da madeira?
Sim, temos aqui no Brasil esta coisa fascinante de que a carpintaria ainda é uma profissão que passa de pai pra filho. Coisa de família mesmo. Normalmente os bons carpinteiros são sempre filhos ou netos de ótimos carpinteiros. Ainda não existem cursos profissionalizantes em carpintaria, ou mesmo telhadistas. Gostaria que existissem mais bons carpinteiros. Eles são os grandes aliados da madeira, e precisam realmente saber trabalhar com este material. Saber o que estão fazendo mesmo, pra jogarem a favor da madeira! Se um telhado de madeira entorta ou cai, a culpa nunca é do (mal) carpinteiro e sim da madeira, que era ruim! Eles precisam saber usar o material de forma correta. Pra isso é necessário um grande trabalho nacional a longo prazo. E claro, formar profissionais conscientes pra comprar e construir com madeira legalizada. Desenvolvi, juntamente com a empresa Plantar, um curso pra carpinteiros que tem rodado o Brasil, capacitando mão de obra pra trabalhar com madeira redonda. Além disso dou aulas de cálculo de ligações em estruturas de madeira numa escola aqui em São Paulo.

- Quais são os benefícios que a madeira traz aos projetos e as pessoas que irão conviver naquele ambiente?
Creio que a primeira coisa que vemos numa construção em madeira é a beleza estética. Isso é de comum acordo. A madeira é bonita! Traz aconchego, dá vida ao ambiente, dá uma sensação boa, de contato com a natureza de alguma forma. As pessoas gostam de passar a mão na madeira, de alisar de contemplar a madeira, de sentir a madeira, de ver seus veios, suas tonalidades de sentir seus cheiros. No Japão, por exemplo, existem templos budistas com mais de 1500 anos, todos feitos em madeira e reverenciados até hoje. A madeira valoriza o projeto, agrega valor econômico à construção e bem projetada dura pra sempre. Traz conforto térmico e acústico ao ambiente. A madeira deixa sua construção única e exclusiva, uma vez que não existem duas peças de madeira iguais no mundo.

- Quantos projetos já executou com o uso da madeira como material de destaque? Possui algum preferido?
Estamos atualmente com aproximadamente 200 projetos executados. Alguns deles no exterior como por exemplo uma torre na China, estruturas no Líbano, uma residência na Noruega, um haras na Suíça, residências em Angola e uma residência na Austrália. Já o meu projeto preferido foi ter feito a maior torre de madeira do Brasil, em eucalipto. Ela tem 25m de altura até o deck, mais 2m de monta carga, com um total de 27m de altura. Este projeto foi um grande desafio pra ser feito em madeira, apesar das soluções simples adotadas. E claro, o projeto atual que estou fazendo, uma residência na praia, pra um casal famoso de atores de cinema, projetada pelos arquitetos da Triptyque, está se tornando o meu predileto!

4 comentários:

FranckSalceBeck disse...

Brilhante! Ótima entrevista, é um estímulo para saber mais.

Fabio Lanfer disse...

Dá-lhe Alan! Excelente trabalho.

André Prata disse...

Muito bacana.

herbert schnaider disse...

otimo suas palavras, tirou duvidas de muita gente.
obrigado